Layout by:

Fresh Designs

Terça-feira, 8 de Abril de 2014

Fairytale ~ 7

                - Então, como é que vocês estão? Já não vos vejo há tanto tempo. – Disse Maria.

                - Estamos bem. E tu? – Perguntou Rute.

                - Também. Consegui um emprego fixo recentemente. É muito bom. Finalmente vou assentar.

                - E estás só a falar de trabalho? – Perguntou Francisca.

                - De que mais é que poderia estar a falar? – Perguntou Maria, confusa.

                - Normalmente quando alguém diz que vai assentar isso significa que vai casar... – Explicou Rute.

                - Oh não! Eu e o Gonçalo não vamos casar. Pelo menos para já... nunca se sabe.

                - Pois... – Concordou Rute.

                - Então e vocês? Não estão a pensar em casar?

                - Eu e o Duarte ainda não pensámos nisso.

                - E comigo é o mesmo. Nós nunca falámos disso. – Disse Francisca.

                Enquanto as raparigas falavam no sofá, os rapazes conversavam no outro lado da sala, alheios à conversa das raparigas.

                - Eu vou pedi-la em casamento. – Disse Mateus.

                - O quê? A sério? Quando? – Perguntou Gonçalo.

                - Em breve. Mas não sei bem o que fazer. Ela merece que seja perfeito mas não estou a ter ideias nenhumas.

                - Porque é não pedes ajuda à Rute? Elas são melhores amigas, não são? – Sugestionou Duarte.

                - Sim, acho que podia pedir-lhe ajuda. Mas será que ela me ajuda? Tu sabes que ela não gosta muito de mim.

                - Mas gosta da Francisca. É óbvio que te vai ajudar. Se for para deixar a melhor amiga dela feliz, é óbvio que te ajuda. – Disse Duarte.

                Naquele instante, Catarina entra na sala, vinda da cozinha.

                - Já se podem sentar, o jantar está quase pronto.

                Todos se sentaram, deixando o lugar da cabeceira da mesa para Catarina. Passado poucos minutos, Catarina entra com a comida e senta-se. Durante o jantar, estavam todos bastante calados até Duarte iniciar uma conversa.

                - Então Catarina, conta-nos mais sobre ti. De onde é que vens, o que é que fazes.

                - Eu venho de uma pequena cidade no sul do país. E neste momento não faço nada. Vou ficar por aqui durante algum tempo e depois talvez vá para a faculdade.

                - Mas não tens nenhum emprego? – Perguntou Rute.

                - Não. – Respondeu Catarina.

                - Então como é que pagas as contas da casa, a comida, etc? – Perguntou Rute.

                - Eu... Tenho algum dinheiro posto de parte. É suficiente para tudo o que preciso. – Disse Catarina, nervosa.

                Duarte e Mateus notaram no nervosismo de Catarina e entreolharam-se, tentando perceber o que se passava.

                - Então e vocês, o que é que fazem? – Perguntou Catarina.

                - Eu trabalho numa empresa de calçado. – Respondeu Maria.

                - Eu e a Rute somos estudantes. – Respondeu Francisca.

                Os três rapazes não responderam, ao que Catarina achou estranho.

                - Então e vocês? O que é que fazem?

                - Uhm... Eu faço entregas ao domicilio. Pizzas. – Mentiu Gonçalo.

                - É, e eu... também trabalho numa empresa. Uma empresa de telefones. – Mentiu também Duarte.

                - E tu Mateus? – Perguntou Catarina, sorrindo sedutoramente.

                - Eu trabalho para o meu pai. E também estudo.

                - Que interessante! Estudante e trabalhador. – Disse Catarina, ainda sorrindo.

                Francisca notou naquilo que Catarina tentava fazer e estava a ficar zangada. Rute também percebeu e notou que a amiga não estava bem. Por baixo da mesa, agarrou na perna dela e murmurou-lhe ao ouvido:

                - Tem calma. Ela é uma oferecida mas se tu raparares bem o Mateus não lhe está a dar atenção nenhuma. Tem calma Francisca.

                Rute largou a perna da amiga e continuou a comer. Durante todo o jantar, Catarina fazia de tudo para ter a atenção de Mateus, sem resultado. Francisca ficava cada vez mais zangada e durante a sobremesa, Catarina deixou cair “acidentalmente” um pouco de mousse de chocolate na camisola de Mateus, enquanto pousava a taça na mesa. A maneira como Catarina limpava a sujidade da camisola fez Francisca explodir.


Maятa às 21:28

Link do post | Comentar

5 comentários:
De anna williams a 8 de Abril de 2014 às 21:42
Estou ansiosa pela continuação! :)
A Catarina está a abusar, aiai


De twilight_pr a 8 de Abril de 2014 às 22:23
Agora vou estar quase a morrer para saber o que vem a seguir!


De Sara a 9 de Abril de 2014 às 10:52
adorei o capítulo!
gosto desse mateus ahah, sempre fiel! e são mesmo queridos, vê lá se fazes um bom pedido de casamento :)


De francis marie a 9 de Abril de 2014 às 14:58
Ui, como é que ela vai reagir? Põem já o próximo capitulo! o:
Adorei, o Mateus vai pedi-la em casamento, tão fofo *-*


De Miguel Alexandre Pereira a 15 de Abril de 2014 às 12:00
Estou ansioso para ver a continuação, consegues mesmo cativar com a escrita. Estou a gostar imenso da história :)


Comentar post