Layout by:

Fresh Designs

Quarta-feira, 19 de Março de 2014

Fairytale ~ 5

                - Recebemos uma carta, sem remetente, sem assinatura, sem nada, a dizer que se não devolvessemos as jóias, que nos matavam a nós e... – Duarte não acabou a frase mas o olhar que lançou a Mateus deu para todos perceberem o que ele queria dizer.

                - Eu não vou deixar que a magoem. – Disse Mateus, seriamente.

                - Ninguém vai magoar ninguém! Mas o que é que é suposto nós fazermos? Entregar-lhes as jóias? – Perguntou Gonçalo.

                - É obvio que não. Temos de descobrir quem é que nos mandou isto e tratar-lhes da saúde. – Respondeu Duarte.

                - Eu sabia que roubar aquelas jóias ontem não foi boa idea. Para que é que nós queremos aquilo? Já temos dinheiro suficiente com os empréstimos – Perguntou Gonçalo.

                - Não se trata de dinheiro mas sim de poder. Assaltámos um gang e roubámos o que de mais precioso eles tinham. – Respondeu Mateus.

                - Então se calhar quem quer as jóias é alguém do gang. – Sugestionou Gonçalo.

                - É impossivel, nós matámo-los todos. – Respondeu Duarte.

                - Há alguma coisa aqui que não bate certo. Porque é que um outro gang quereria jóias que não lhes pertencia? – Inquiriu Mateus.

                - Se calhar pelo mesmo motivo que nós. O poder. – Indagou Gonçalo.

                - Não, não é isso. Se fosse tinham feito o mesmo que nós e vindo cá a casa roubá-las. Não faz sentido. – Disse Mateus.

                - A não ser que as jóias não sejam o objetivo deles. – Disse Duarte.

                - O que é que queres dizer com isso? – Perguntou Gonçalo.

                - É uma cilada. – Respondeu Duarte.

                - Para quê? Para nos matarem? Era mais fácil vir cá a casa e faze-lo e não acho que sejam burros ao ponto de não o fazerem dessa maneira. – Comentou Gonçalo.

                - Não. O alvo deles é outro. – Concluiu Duarte, deixando um clima de grande tensão na sala.

-----------------------------------------

                Catarina andava de um lado para o outro da sala, esperando que a pessoa do outro lado da linha atendesse. Finalmente uma voz grave e autoritária falou.

                - Estou?

                - Sou eu, a Catarina.

                - Ah tu. Então, como é que está a ser a tua nova vida? Já o conheceste?

                - Já.

                - E então?

                - Vai ser dificil. Ele tem namorada.

                - E depois? Tu consegues sempre aquilo que queres, não é verdade?

                Ouviu-se alguém ao longe, do outro lado da linha dizendo “Mário, anda cá, precisamos de ti!”

                - Já vou! – Gritou Mário. – Olha tenho de desligar. Continua a fazer o belo trabalho que fazes sempre e vais ver que consegues fazer aquilo que combinámos.

                - Vou tentar.

                - Eu sou o lider deste gang e todos vós têm de dar o vosso melhor para cumprir as vossas obrigações.

                - Eu sei.

                Houve uma pausa antes de Catarina falar de novo.

                - Ouve... pai... a mãe está bem?

                - Mais ou menos. Ainda não superou a morte da tua irmã...

                - Diz-lhe para não se preocupar. Eu trato de vingar a morte dela.

                Ambos desligaram ao mesmo tempo e Catarina olhou pela janela da sala de onde se via para o interior da casa ao lado e viu Mateus, sentado no sofá, a rir-se. A raiva da felicidade daquele rapaz era tanta que Catarina não se conteve e atirou o seu telemóvel ao chão.

                - Tu vais pagá-las... – Murmurou Catarina, olhando para Mateus.

------------------------------

                Era sábado e como sempre, Mateus ia ter com Francisca a casa dela para irem passear, depois dela ter ido almoçar com o seu pai. Mal saiu de casa, viu a sua vizinha ruiva Catarina no quintal da frente, a lavar o seu Range Rover vermelho, usando uns calções bastante curtos e um top bastante pequeno e apertado. Se Mateus não fosse comprometido estaria já com ela no quarto. Catarina viu Mateus a sair e chamou-o, não perdendo esta oportunidade para falar com ele.

                - Mateus! – Gritou ela, acenando.

                - Olá. Tudo bem?

                - Sim. – Disse ela, aproximando-se dele.

                - O que é que estás a fazer? - Pergunteu ele.


Maятa às 19:34

Link do post | Comentar

3 comentários:
De francis marie a 19 de Março de 2014 às 20:24
Ai a gaja.... tu não deixes que ela seduza o mateus, ele é fiel!
quero mais, está lindo!


De Sara a 21 de Março de 2014 às 18:07
estou a adorar!
quero mais :)


De twilight_pr a 21 de Março de 2014 às 18:41
Ai eu não estou a gostar nada da Catarina -.-
Quero saber mais! Estou ansiosa, desculpa só ter conseguido ver, mas estive a semana com testes.


Comentar post