Layout by:

Fresh Designs

Segunda-feira, 7 de Julho de 2014

Fairytale ~ 12

                - Parem com isso! O que é que te deu Mateus? – Perguntou Gonçalo.

                - Ficas avisado. Não voltes a agir nas minhas costas. – Disse Mateus.

                Mateus pegou na mão de Francisca e ambos subiram para o seu quarto.

                - O que é que foi aquilo? – Perguntou Francisca.

                - Desculpa. Eu não me contive.

                - Porque é que fizeste aquilo?

                - Ele não devia ter ido falar contigo.

                Francisca suspirou e aproximou-se de Mateus, ficando a meros centimetros dele.

                - Mateus, não devias ter feito isso. Ele só estava a tentar proteger-te daquilo que a Catarina podia fazer.

                - Eu sei proteger-me sozinho.

                - És tão teimoso... – suspirou Francisca.

--------------------------------------------------------

                Francisca respirou fundo e pôs uma mecha de cabelo atrás da orelha. De seguida, bateu à porta e esperou que a abrissem. Pôs um sorriso falso e logo de seguida Catarina apareceu à sua frente.

                - Olá Francisca! Passa-se alguma coisa?

                - Não! Apenas decidi aparecer aqui visto que noutro dia saí tão de repente.

                - Ah entra!

                Catarina deu espaço para Francisca passar e esta entrou na casa que já conhecia. As duas sentaram-se no sofá grande da sala e Francisca começou a falar.

                - Eu queria pedir desculpa por ter saido tão depressa. Eu não me estava a sentir muito bem.

                - Não há problema. Eu compreendo. Sentes-te melhor?

                - Sim, obrigada.

                Francisca respirou fundo e pôs um sorriso falso.

                - Eu estava a pensar... em compensar-te por aquilo. Podiamos ir sair. Tomar um café, ir às compras,... – Sugestionou Francisca.

                - Está bem. Quando?

                - Quando te der mais jeito.

                As duas sorriram uma para a outra e combinaram uma saída para o dia seguinte.

-------------------------------------------

                - Eu já estou farta. Honestamente.

                - Francisca, tens de ter paciência. – Disse Duarte.

                - Sempre que eu tento arrancar qualquer coisa dela, ela fecha-se em copas e eu fico sem saber nada. Ela não me conta nada!

                - Tens de tentar uma aproximação diferente. Por favor, tem paciência. – Encorajou Mateus.

                Francisca suspirou. Há quase dois meses que era amiga de Catarina e ainda não tinha conseguido saber nada de interessante. Sempre que tentava saber alguma coisa, Catarina mudava de assunto e Francisca já começava a ficar farta de ser falsa amiga de uma pessoa que não gosta e do seu plano não estar a resultar. Mateus levantou-se do cadeirão da sala onde estava sentado e pegou na mão de Francisca, levando-a para o seu quarto. Entraram e ficaram de pé, de frente um para o outro.

                - Conta-me, o que te está a preocupar? – Perguntou Mateus.

                - Eu tenho medo. Medo que o plano não resulte. Medo por mim, pelo Duarte e o Gonçalo, mas principalmente tenho medo por ti.

                - Eu confio em ti. E tu devias fazer o mesmo.

                - Mas não consigo. Estou sempre a pensar se ela já descobriu o nosso plano, se nos vai acontecer alguma coisa. Não consigo evitar.

                - Vai correr tudo bem.

                - Porque é que tens tanta confiança em mim?

                - Porque eu sei que o amor que sentes por mim me vai proteger. Assim como o amor que eu sinto por ti te vai proteger.

                Francisca olhou para baixo e respirou fundo, fechando os olhos e abrindo-os seguidamente.

                - Tenho tanto medo deste mundo. Gangs, armas, mortes...

                Mateus aproximou-se de Francisca e pegou nas suas mãos, chamando a sua atenção. Francisca olhou para cima, encarando Mateus.

                - Eu sei que tu querias que a nossa vida fosse um conto de fadas, mas não é. Tens que te mentalizar que vai haver sempre perigo à nossa volta. Quando se entra nesta vida não se pode sair. E acredita que eu já estive muito arrependido de ter seguido este caminho do crime.

                - Já não estás arrependido?


Maятa às 18:27

Link do post | Comentar

4 comentários:
De Sara a 7 de Julho de 2014 às 18:45
super giro! quero mais :)


De twilight_pr a 7 de Julho de 2014 às 18:54
Gostei imenso, quero saber mais!
Não gosto que acabes assim, porque fico sempre muito ansiosa xP


De francis marie a 7 de Julho de 2014 às 21:52
Adorei!
Espero mesmo que o plano resulte o:
O que será que ele lhe vai responder? Odeio quando acabas os capitulos assim!!


De anna williams a 8 de Julho de 2014 às 16:50
Gostei imenso! Estou curiosa pela resposta :)
O Mateus fascina-me, adoro-o!


Comentar post