Layout by:

Fresh Designs

Sábado, 27 de Outubro de 2012

Bad boy ~ 12

            - Nós temos de ser rápidos e eficientes. Nada pode correr mal. – Respondeu Gonçalo.

            - Sim, já sei! Mas qual é o plano? – Perguntei eu, impaciente.

            - Vamos colocar uma bomba no armazém onde ele e os amigos se costumam encontrar. Vai tudo pelos ares. Não resta nada. – Respondeu  Duarte.

            - E quando é que fazemos isso? – Perguntei.

            - Na próxima semana. A bomba ainda está a ser preparada. Tivemos de a encomendar a um francês que veio a Portugal de propósito para isto. – Respondeu Gonçalo.

            - Então vai sair caro.

            - Dinheiro não é um problema para nós Mateus. E tu sabes disso. Ganhamos bastante com os negócios que fazemos e podemos ter tudo o que quisermos. – Disse Gonçalo.

             - Sim, eu sei.

             - Realmente, se temos tanto dinheiro podíamos ter uma casa melhor… - Disse Duarte.

             - Tens razão. Mas para já vamos concentrar-nos naquilo que temos que fazer e depois pensamos nisso. – Acrescentou Gonçalo.

---------------------------

(Mente de Francisca)

             3 Dias depois.

            Nestes últimos dias o Mateus tem andado muito aéreo. Desde que recebeu aquele telefonema quando estava em minha casa, ele nunca mais foi igual. Mais tarde nesse dia ele veio visitar-me de novo mas foi muito rápido e nem tivemos tempo para estarmos juntos como das outras vezes. Já tentei saber o que é que ele tinha mas ele não quis responder. Disse que estava só cansado mas não acreditei nele. Hoje de manhã, ele veio a minha casa mas mal entrou recebeu um telefonema e foi a correr sabe-se lá para onde.

Depois de jantar, fui para a sala com o meu portátil ver se tinha novos e-mails quando o meu telemóvel toca. Atendi a chamada sem ver quem me ligava.

             - Estou?

             - Francisca, sou eu.

             - Rute… o que é que queres?

             - Saber se estás bem. Não falamos à muito tempo.

             - Sim, estou bem. Era só isso?

             - Não, espera. Como é que tens passado estes dias? Nunca mais me ligaste a combinar nada!

             - Tenho andando com o Mateus. Não sei se sabes mas nós namoramos.

            Consegui perceber que a Rute foi apanhada de surpresa. A sua respiração ficou mais acelerada e o silêncio imperou durante algum tempo.

             - Vocês namoram? Que bom para ti.

             - Sim, estou muito feliz.

             - Francisca, eu gostava de poder ser tua amiga outra vez.

             A campainha de casa tocou e eu fui abrir a porta.

             - Espera aí Rute, tenho de ir abrir a porta.

             Fiquei com o telemóvel na mão enquanto abria a porta. Mal a abri, arrependi-me. Um rapaz, aparentava ter 18 anos, agarrou-me e tapou-me a boca depois de eu ter gritado. Ele puxou-me para um carro estacionado ao pé de minha casa e eu deixei cair o telemóvel no passeio. Dentro do carro vi mais 2 rapazes e logo a seguir puseram um lenço com um cheiro esquisito à frente da boca e eu adormeci instantaneamente.

----------------------------

(Mente de Mateus)

            Estava a chegar de carro ao bairro quando vejo uma silhueta conhecida na estrada, andando com alguma pressa. Eu abrandei e abri o vidro vendo quem era.

              - Ei! Tu!

              Ela automaticamente parou e virou-se para mim. Eu parei o carro e saí.

              - Tu és amiga da Francisca, não és? Eu lembro-me de ti quando vos conheci pela primeira vez.

              - Sim, sou. – Ela respondeu, com receio na sua voz.

              - Estás bem? Não pareces.

             - Tenho uma coisa para te contar. Eu estava a falar ao telemóvel com a Francisca e de repente ela diz que tem alguém a porta de casa. Ela foi abrir e depois ouço um pequeno grito. Não ouvi mais nada depois disso. Desliguei a chamada e a primeira coisa que me ocorreu foi vir dizer-te isto. Normalmente eu iria à polícia mas desta vez eu tenho uma leve sensação de que devia falar contigo primeiro.

               - Fizeste bem. E agradecia que não fosses à polícia.

               - Porquê?

               - Eu trato de tudo. Não te preocupes.

               O meu telemóvel começa a tocar e eu atendo.

               - Estou, Duarte?

               - Mateus, vem já para casa. Tu tens de ver isto. É sobre a Francisca.

               Desliguei a chamada.

               - Como é que te chamas?

               - Rute.

               - Rute, entra no carro. Temos de ir já.

               - Eu não vou entrar num carro contigo!

               - Então não venhas! Mas se a Francisca correr perigo, vais ficar com esse peso na consciência.

             Eu entrei no carro e parece que as minhas palavras fizeram efeito pois ela entrou no carro logo a seguir a mim. Guiei durante algum tempo até chegar à garagem e mal estacionei nem me lembrei de fechar o carro. Corri pelas escadas acima e cheguei finalmente a casa. Abri a porta e entrei na sala, Rute fechando a porta. Os outros dois rapazes estavam sentados no sofá e eu sentei-me na cadeira habitual.

                - O que foi?

             Naquele momento, Rute entrou na sala, ficando junto à entrada, encostada à parede. Eles olharam para ela e para poupar tempo eu respondi à pergunta nas suas cabeças.

                - Esta é a Rute, uma amiga da Francisca. Encontrei-a no caminho. Ela contou-me que a Francisca estava a falar com ela e de repente dá um grito e nunca mais ouviu nada. O que é que vocês sabem?

                - Isto chegou para ti mas eu abri sem querer, não vi que era para ti. – Respondeu Duarte.

                Ele entregou-me um bilhete que tinha na mão e eu abri-o lendo o que estava escrito.

              Eu tenho a tua miúda Mateus. Primeiro matei o teu melhor amigo e vou fazer o mesmo com a tua namoradinha. Mas vou-me divertir com ela primeiro… 

               Instantaneamente, eu levantei-me e atirei o bilhete ao chão.

               - Temos de os encontrar! Já!


Maятa às 19:14

Link do post | Comentar

2 comentários:
De francis marie a 27 de Outubro de 2012 às 21:05
Adoreiii


De apenasdesejo a 2 de Novembro de 2012 às 20:55
Ola!!!É so para dizer que ja voltei ao blog. Adorei o teu testo.Como sempre!!! Passa por o meu blog e comenta.
bjs


Comentar post