Layout by:

Fresh Designs

Sábado, 14 de Dezembro de 2013

Nothing Like Us 5 ~ 3

                - Ainda não... Mas espero encontrá-la outra vez. Como é que eu vou saber que é ela? Ela estava mascarada...

                - Tu, timido como és, aposto que se a vires, foges.

                - Não fujo nada. Quer dizer, acho que não...

----------------------------------

                - Como é que estás Érica? – Perguntou Daniela.

                - Estou bem... Aquilo foi no sábado, hoje já é segunda...

                - Eu sei, mas ainda podias estar meia atordoada, visto que bebeste uns 50 litros de vodka.

                Érica fez um olhar zangado para Daniela, mas na brincadeira.

                - Então Paula, hoje já viste o rapaz do baile? – Perguntou Camila.

                - Não... Ele estava mascarado. Como é que eu o vou encontrar?

                - O que te chamou mais à atenção nele? – Perguntou Camila.

                Depois de pensar durante uns segundos, Paula respondeu.

                - Os olhos. Tinha pestanas enormes. E também cheirava um bocado a tabaco.

                - Então pega por aí. Quando vires um rapaz com pestanas grandes e que cheire a tabaco, é ele!

                - Há muitos rapazes com pestanas grandes e que cheiram a tabaco...

                - Nesta escola deve ser dificil encontrares mais de três. Há mais alguma coisa sobre ele que o destinga?

                - Não sei... ele tinha barba.

                - Mas agora pode já não ter.

                - Pois... não sei Camila, a sério. Pode ser que ele me descubra e venha ter comigo.

                Camila concordou e depois soou o toque de entrada. A aula correu normalmente e como sempre, Paula não estava muito atenta. Mas desta vez era porque só conseguia pensar no rapaz que conhecera no baile. No intervalo, os seus amigos foram para o pátio e Paula foi à casa de banho. No corredor havia poucas pessoas pois estava calor e estavam todos fora dos recintos fechados. Quase a chegar à casa de banho, Paula reparou num rapaz que estava a tirar os seus livros do cacifo, mas o que mais lhe chamou à atenção foi um brinco que estava pousado dentro do cacifo. Paula parou e olhou fixamente para o pequeno objeto. Aquilo era definitivamente seu, ela conseguia senti-lo. Para além do mais, era o brinco que faltava, que pensava ela ter perdido.

                - Hey, isso é meu! – Gritou Paula, apontando para o brinco.

                O rapaz virou-se e olhou para Paula, ficando assim durante algum tempo.

                - Porque é que tu tens isso? Isso é meu... – O tom de voz de Paula foi baixando na última frase, até chegar ao murmurio pois foi ai que olhou para o rapaz à sua frente.

                Aqueles olhos não enganavam ninguém. Era ele.

                - Tu? Não pensei que te encontraria outra vez. – Disse Paula.

                - Eu também não...

                Zé pegou no brinco e deu-o a Paula.

                - Tu deixaste-o cair quando fugiste no baile.

                - Isso parece muito cinderela. Sou a Paula.

                - Sou o José mas trata-me por Zé. Eu não gosto nada do meu nome...

                - Está bem. Pensei que nunca saberia isso. Nós não falámos no baile...

                - Pois foi... Eu sou muito timido e não sabia o que dizer...

                - Não te preocupes, comigo podes estar à vontade.

                Os dois sorriram um para o outro e Paula lembrou-se que tinha que ir à casa de banho urgentemente.

                - Uhm, desculpa mas eu tenho de ir.

                - Outra vez? Começo a achar que não gostas de mim. – Disse Zé, a brincar.

                - Não! Não é isso! Apenas tenho de ir à casa de banho. Desculpa.

                - Não faz mal. Então, vemo-nos por aí?

                Paula acenou com a cabeça afirmativamente. Zé foi-se embora e Paula correu para a casa de banho. Zé entrou na cafetaria e viu os seus amigos numa mesa ao fundo. Aproximou-se, com um grande sorriso, e sentou-se.

                - O que é que se passa? Estás com um sorriso parvo. – Perguntou um dos seus amigos.

                - Eu vi-a.

                - Quem?

                - A rapariga do baile.

                - E fugiste?

                - Não, não fugi.


Maятa às 19:47

Link do post | Comentar

2 comentários:
De twilight_pr a 14 de Dezembro de 2013 às 20:49
Está cada vez mais interessante, mal posso esperar para mais


De anna williams a 15 de Dezembro de 2013 às 17:21
Gostei imenso do capítulo, estava com saudades já :)
Posta rápido, estou curiosa para o desenrolar!
Beijinhos


Comentar post