Layout by:

Fresh Designs

Terça-feira, 27 de Março de 2012

Carlos

Carlos, 18 anos

Era uma vez um rapaz de 12 anos que queria ser feliz. Esse rapaz não tinha amor em casa, os seus pais batiam-lhe por tudo e por nada, na escola os professores não gostavam dele e pensavam que ele era um delinquente por causa das roupas que vestia e das notas que tirava, apesar de nunca lhes ter faltado ao respeito ou ter sido mal ducado com eles. Esse rapaz nunca teve coragem de dizer a ninguém que era vítima de violência doméstica. Esse rapaz tinha poucos amigos e aqueles que tinha eram drogados da sua idade que paravam à porta de sua casa para não serem apanhados pelos pais.

No prédio onde esse rapaz morava, todos os vizinhos lhe perguntavam o que tinha sido aqueles barulhos que ouviam, à noite. Em vês de lhes dizer que era os seus pais a baterem-lhe, ele dizia que era ele a jogar jogos no computador e que se exaltava um pouco.

Esse rapaz tinha tudo para ser infeliz, e era.

Um dia, o prédio onde esse rapaz morava recebeu novos vizinhos. Esses vizinhos eram um casal jovem de 30 e poucos anos que fora morar para o apartamento ao lado desse rapaz. Eram fotógrafos e tinham casado há pouco tempo e achavam que tinham encontrado a casa perfeita. Porém, todas as noites, não conseguiam dormir, porque ouviam constantes barulhos na casa ao lado. Um dia, perguntaram ao casal que lá vivia o que se passava e eles responderam que estavam a redecorar a casa e faziam barulho a arrastar os móveis e faziam-no à noite porque de dia trabalhavam. Dois dias depois, o barulho continuava e esse casal pensou que já era tempo demais para redecorar a casa. Então, decidiram falar com eles e dizer-lhes que não podiam fazer tanto barulho mas quando foram falar com eles, só aquele rapaz estava em casa. Decidiram fazer um teste e perguntaram-lhe o que eram os barulhos que tinham ouvido e esse rapaz respondeu que era ele a jogar jogos de computador e que se exaltava um pouco, a mesma história que contava a toda a gente. O jovem casal viu logo que estavam a mentir pois havia duas histórias, a dos pais do tal rapaz e a do rapaz. O casal decidiu investigar e um dia, a mulher desse casal ia a sair de casa e viu aquele rapaz sentado nas escadas a por um penso rápido na perna. Como tinha uma perna das calças levantada, a mulher viu que ele estava cheio de nódoa negras e arranhões na perna e decidiu perguntar-lhe como tinha feito aquilo. Esse rapaz respondeu-lhe que era de correr e cair na escola. A mulher fingiu acreditar porque teve a sensação de que ele estava a mentir. Nesse dia, à noite, o casal estava deitado na cama e ouviram os barulhos de novo. A mulher contou ao marido o que tinha visto naquele dia e ele soube logo as conclusões que havia de tirar. Ambos falaram durante um tempo e foram bater à porta dos vizinhos, em pijama. Estes abriram a porta e o jovem casal pediu para falar com o filho deles. Os pais do rapaz disseram que ele já estava a dormir mas mesmo assim, o jovem casal não acreditou e entrou em casa procurando o rapaz. Os pais dele ameaçaram chamar a polícia mas o casal jovem não se importou. Quando finalmente encontraram o rapaz, a deitar sangue do nariz e a chorar no chão da casa de banho, pegaram nele e levaram-no dizendo, à saída de casa dos pais daquele tal rapaz “Nós levamo-lo para sempre. Vamos apresentar queixa na polícia amanhã e depois… metemos os papéis para adoção.”

Desde esse dia, esse rapaz é mais feliz. Os seus pais foram presos e ele foi viver para casa do jovem casal, do qual o juiz não hesitou quando decidiu que a criança podia ser adotada pelo casal.

Já passaram 6 anos e hoje, esse rapaz é muito mais feliz e esse rapaz… sou eu.

Ouvir enquanto ler: Didn't mean it - Jasmine V

Maятa às 18:08

Link do post | Comentar

2 comentários:
De apenasdesejo a 28 de Março de 2012 às 20:56
Adoro (:

Beijinhos

Responde e comenta


De anna williams a 4 de Abril de 2012 às 17:31
Muito obrigada querida :)
Gostei imenso, continuaaa!
Beijinhoos


Comentar post